AGENDE-SE! INSCREVA-SE! LIVE IMPERDÍVEL!


NISE, O CORAÇÃO DA LOUCURA | LIVE ESPECIAL MANIA DE HISTORY NO INSTAGRAM E YOUTUBE


  AGENDE-SE
UM FILME URGENTE!
UMA LIVE FUNDAMENTAL!

Convidada
PROF. ME. SANDRA GOUVEIA
GRADUADA EM LETRAS
Pós em lingua portuguesa e linguística
Mestrado em Psicanálise
Curso de oratória

A GRANDE NISE DA SILVEIRA


Psiquiatra alagoana, Nise da Silveira (1905-1999) foi uma das maiores representantes da corrente junguiana no Brasil. Jovem médica, formada pela Universidade da Bahia e psiquiatra principiante no hospício da Praia Vermelha, Nise da Silveira sempre ousou. Esquerdista, atuante na União Feminina do Brasil, ela foi presa pela ditadura getulista ao lado de Olga Prestes e Elisa Berger, mas também foi expulsa do Partido Comunista pelo crime inafiançável de suposto trotskismo. Nise da Silveira equilibrava-se entre as estruturas rígidas das instituições e sua inegável vocação para a marginalidade.
O seu feito geralmente mais celebrado foi o de ter transformado honestas e sedativas atividades de terapia ocupacional em via libertária de realização estética dos internos do Engenho de Dentro (RJ). Foram esses trabalhos artísticos dos internos que culminaram na criação do Museu de Imagens do Inconsciente, em 1952, do qual parte do acervo veio a ser apresentado em São Paulo, em 2000, na mostra Brasil 500 anos.
Em 1955, Nise fundou, no Rio de Janeiro, um grupo de estudos sobre C. G. Jung, que viria a se tornar um centro aglutinador de todos que buscavam caminhos alternativos aos diversos discursos hegemônicos que então dominavam o campo “psi”. Já em 1956, preocupada em resgatar a dimensão humana dos denominados “loucos”, Nise da Silveira criou a Casa das Palmeiras, instituição pioneira de acolhimento, de portas sempre abertas que, na opinião de um de seus primeiros clientes, seria “um cantinho que iria modificar o mundo”.

Fonte: Scielo.br